sexta-feira, 27 de julho de 2007

Eu tenho autógrafos dela!


Hihihi! Conseguimos ir no lançamento do livro da Sonia Hirsch, aconteceram tantas coisas antes de chegarmos lá... afe...nem sei se conto...

Fui tirar uma radiografia, uma não, várias dos meus dentes, e acreditem, um rapaz no balcão lá da clínica dizia pro Biajoni sem parar: - Ai me lembro tão bem de você, não te esqueço, lembro de você dos bares que eu trabalhei, e você é tão boêmio, né?

O rapaz era muito alegre, e nunca esqueceu do Biajoni, desde 98, ele falou umas dez vezes isso: 98, depois 99, e todos os outros anos que se seguiram até hoje, ele sabe de tudo da vida do meu marido, uma loucura.

Ele fala mesmo que tem um corpo que atrai tanto homens quanto mulheres, achei que fosse brincadeira, mas não é, não... o rapaz suspirava no balcão, foi lindo de ver.

Ok, chegamos no Dom Pedro, Bia põe a Lia no carrinho, e o que acontece? O carrinho fecha, com a Lia dentro, a Lia caiu no chão, e simplesmente colocou a mão na frente, pra não bater a cabeça, e continuou presa com o cinto de segurança, levantamos a bichinha, e ela deu risada, não se machucou, nem se abalou, e nós quase morremos do coração...

Entramos na FNAC, a Sonia tava dando umas explicações sobre as propriedades do inhame, umas pessoas fazendo umas perguntas, um papo super descontraído.
Aí, beleza, acabou, levei meus livros pra ela autografar, e ela disse que me viu chegar, porque tinha reconhecido o Bia, nos tratou super bem, demos abraços super apertados uma na outra.

Perguntei se ela era macrô ainda, e ela me disse que não, mas que tem o maior cuidado quando come carnes, quaisquer que sejam.

E me explicou que o problema não é comer carne, e sim como comê-la, ela foi macrô durante dez anos, porque estava doente, começou com a macrô, fez meditação, foi morar no meio do mato, deixou o emprego, e aprendeu a viver de outra maneira.

Disse pra ela que parei de comer carne vermelha, não consigo mais, não desce.

Ela me respondeu que era pra relaxar, que o dia que meu corpo precisar ele vai pedir.

Foi assim: maravilhoso encontro. Me emocionei muito, não consegui dormir direito, tentando assimilar tudo o que tinha ouvido, agora entendo você Viva!

6 comentários:

Sandra disse...

Foi exatamente assim que me senti quando conheci alguns blogueiros... Deslumbrada... rsrsrsr. Mas passa, viu???

Beijos

Fábio Shiraga disse...

Muito bacana saber do encontro! Mas já este lance do cara atrair o Biajoni e não esquecê-lo, ai ai ai... risos

Fábio Shiraga disse...

Ah, e o Capucho anda trabalhando no novo show dele com outra cantora iluminada, a Mathilda Kóvak. O segundo livro dele também foi lançado há pouco. O pessoal anda trabalhando e eu fico feliz com tudo isso!

Viva disse...

Esse deslumbramento misturado com admiração e a felicidade de poder estar cara a cara com alguém que curtimos - não tem preço! Que bom que vocês conseguiram ir lá!

Flavio Prada disse...

Não te disse? Nós precisamos encontrar o equilíbrio, dê o nome a isso que quiser. Claro que se a Sonia diz, tem mais importância. Agora só falta voce conhecer o autor daquele livro que aconselha a engolir barro que voce me aconselhou. Quero ver se ele ainda está tentando se (ou nos) transformar em minhoca :-)
No mais, teus posts me inspiram uma grande alegria de viver.
Beijos.

Karen B.B. disse...

Flávio, se faz bem comer barro não sei, mas a Lia adora e come todos os dias doses homeopáticas, ah, alegria de viver? Ainda bem que você se contenta com pouco lindo!